Medicina de Emergência passa a ser especialidade no Brasil

22 de outubro de 2015


estrela-da-vida

A formação dos profissionais de emergência conquistou um grande avanço em 16 de setembro de 2015, quando a Medicina de Emergência passou a ser considerada especialidade pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), Conselho Nacional de Residência Médica (CNRM)  e Associação Brasileira de Educação Médica (ABEM).

No Brasil, dos 409.267 médicos em atividade no país, apenas 85 são emergencistas que cursaram 3 anos de Medicina de Emergência após a graduação.

Com a aprovação da especialidade, o Brasil dá um grande passo à formação desses profissionais. Já foram credenciados pelo Ministério da Educação e Cultura (MEC) e pelo CNRM, 24 novos programas de residência médica, distribuídos em diversos estados do país.

A Associação Brasileira de Medicina de Emergência (ABRAMEDE) e a Sociedade Brasileira de Pediatria assumem a responsabilidade na formação dos médicos emergencistas na área de adulto e pediátrica. Segundo as Entidades, todas as instituições que estão propondo estes programas possuem grande experiência na área de educação, formação de novos médicos, pesquisa e são reconhecidas por sua excelência no atendimento a seus pacientes.

O Brasil conta ao todo, com 12 programas de residência em ME ADULTO, com acesso direto e duração de 3 anos, e 12 programas de área de atuação em ME PEDIÁTRICA, com duração de 1 ano, tendo como pré-requisito a Residência Médica de pediatria.

Com essa conquista, ganham os profissionais que atuam na área e especialmente os pacientes, que contarão com uma equipe qualificada em um momento tão importante e definitivo em sua vida.

A SBAIT também está requisitando junto com o CBC a ampliação da duração do PRM Área de Atuação em Cirurgia do Trauma de um para dois anos.

Saiba mais sobre a especialidade de Medicina de Emergência e os programas de residência médica, acessando o site da ABRAMEDE.

Fonte: SBAIT News